sábado, 11 de junho de 2011

O QUE PODE A TERNURA?... OU, PARA ONDE VAMOS SEM TERNURA?...

a ternura tece laços,
quebra a solidão;
seca lágrimas, 
sorri na multidão... jorge bichuetti

A poesia enternece... é voz que a vida usa para ninar a esperança, fé no amanhã.

Escute comigo a ternura parindo vida, neste verso:

Eu agradeço pela vida
Que liberta a alma
Eco de alegria desborda
Como estrelas esplendorosas
                                         (Rosi Alves)


a dor, a ternura 
suaviza -
flor e mel,
no caminho
onde o universo canta
na ciranda
os passarins...

e se dor geme sozinha
no escuro da noite fria
as estrelas velam a vida
e a dor nunca é um...  sem ninho... jorge bichuetti

Muitas vezes, não somos a mão da vida... reflitamos neste haikai...

morreu o sapo
ninguém o está velando
só o universo 
CONCHA ROUSIA, POETA DE COMPOSTELA





ternura - marcha pela liberdade...
ternura... grita na floresta pelo verde, pelos índios...
ternura... luta... é gay, negra, pobre, louca, sem-terra, sem-teto, é da rua: é a lua, o luar...
a flor é filha, nascente da ternura...
ante a dor, a opressão e a violência da exclusão, a vida é uma rebelada e insurgente ternura... jorge bichuetti

Reflitamos com Viktor Frankl, herói solidário... a ternura nos campos de concentração era a oração da vida:


"Se não está nas tuas mãos mudar uma situação que te produze dor, sempre poderás escolher a atitude com que afrontes esse sofrimento"Viktor Frankl




Apesar de tudo, cantamos...
ternamente, lutamos
sonhamos
resistimos e 
no caminho da ternura semeamos...
                                                  um novo dia
                                                        uma nova suavidade
                                                                     o amor
                                                                         na
                                                                  liberdade. jorge bichuetti


                                 ITARAPÉ
                                             Jorge Bichuetti


Ijepé
amó patacatú
puçá
soó-biá potyra
itobi caetá
tutixaba oba ibié
cobé, cobé...  cobé!...


Cuapa cobé
sapeca ibarapé
membereba obi


Paraussuberecó cobé
itarapé
itarapé
coé  apé joaussuba...



2 comentários:

Rosi Alves... disse...

Poeta amei ver meu humilde Poemento nesse blog maravilhoso
Onde seus textos e poesias encantam de uma forma que passo horas aqui.
.
Tu não és humano
E um anjo disfarçado
Em forma de letras
Que encantam de uma
Forma plena o coração
De quem contempla.
(Rosi Alves)
com carinho para poeta Jorge Bichuetti.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: esta é tua casa, xaminho de sonhos , luares e um alvorecer novo que tecemos no poetizar a vida; abraços, com carinho, jorge