segunda-feira, 13 de junho de 2011

BONS ENCONTROS: O TERAPEUTA ADILSON s SILVA REFLETE SOBRE O CUIDADO DA DEPENDÊNCIA E A QUESTÃO DA FAMÍLIA...

                  DEPENDÊNCIA QUÍMICA- MAIS AINDA...
                                                      Adilson S Silva
                  
                 A FAMÍLIA NO CONTEXTO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA

O papel da Família é um fator fundamental tanto na dependência como em seu tratamento.
O processo terapêutico familiar se destina às pessoas emocionalmente envolvidas com os problemas decorrentes do uso, abuso e dependência do álcool e de outras drogas e suas implicações na estrutura sócio-familiar.
A terapia familiar é importante tanto na intervenção como recuperação do dependente químico. Os membros da família se constituem em "vítimas primárias" da dependência, além é claro, do próprio dependente. Vitimização, super-proteção, culpa, raiva, mágoa, auto-piedade, privações e desespero são sintomas observados em familiares dos dependentes que estão na ativa ou que estão iniciando um tratamento.
Tem-se observado que os familiares possuem pouco ou quase nenhum conhecimento sobre drogas, álcool e suas implicações para compreender a necessidade da participação no processo terapêutico e poder lidar satisfatoriamente com o problema.
Preconceitos e sofrimentos acumulados pelos familiares interferem no processo terapêutico. A família necessita discutir seus pontos de vista, melhorar a qualidade das relações e organizar-se estruturalmente, de maneira a auxiliar na recuperação de toda a família
A problemática das terapias familiares com dependentes químicos tem um caráter muito complexo e deve-se compreender que as famílias estão sofrendo uma condição danosa ao próprio bem-estar físico e emocional e outras perdas.
O Processo terapêutico objetiva expor OS JOGOS que podem estar encobrindo o cerne da questão e auxiliar as famílias no processo de intervenção , buscando lidar com as atitudes de resistência , descartando discussões infrutíferas sobre conceitos certos ou errados, culpa ou inocência.
A meta é estimular a comunicação entre os membros e promover o reconhecimento do papel de cada um , bem como demonstrar como o envolvimento dos familiares no processo beneficia o desfecho terapêutico

             Tomando consciência
Parece-nos que a única maneira de modificar o sistema familiar adoecido, quando a coisa toda se torna insuportável, é ajudando as pessoas envolvidas a entender o sistema e ver seus papéis nele, ajudá-los a ver sua própria dependência ao dependente.
É só com essa compreensão, que cada membro da família pode se responsabilizar pela sua parte no sistema.
A práxis é no sentido de fazer todo o esforço possível para respeitar a situação da família – entende-la e reassegurá-la de que é totalmente possível. Nós , terapeutas, tentamos sentir quão importante as relações dependentes são para a família e respeitá-la verdadeiramente , olhá-la sem julgá-la, apreciá-la. Aí, juntos, tentamos examinar as relações e tentamos ajudar a família a encontrar o seu próprio caminho.
As famílias precisam lidar com a negação, com a ilusão de controle; lidar com mal-entendidos, defesas mal-estruturadas, estigmas e desconhecimento em relação às diversas dimensões do problema da dependência de substâncias psicoativas.


14 comentários:

Anne M. Moor disse...

Ai Jorge e Adilson

Tão triste para todos os envolvidos. Passei por isso e me levou anos a perdoar a mim mesma eu acho! Escrevi um poema sobre isso chamado Consciência, que está lá no meu blog...

http://anne-lifeliving.blogspot.com/2008/02/conscincias.html

Beijos
Anne

PS. Adorei o texto.

Norma Meneguelli disse...

Texto fantástico,
Grata por mais esta contribuição!
Abraços,
Norma.

Mila Pires disse...

Essa missão dos terapeutas de ajudar as familias é que nos faz sentir seres humanos colaboradores/coresponsáveis para uma sociedade melhor...
Parabéns Adilson e Jorge!
Abraços...com carinho...

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne: dor imensa num campo que os que ajudam sabem ainda pouco oou pouco conseguem nas invenções.
Irei buscá-la hoje a noite... pois tentarei postar mais. Abraços com carinho, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Norma, sempre o nosso Adilson nos brinda com contribuições singulares , fecundas e belas; Abraços com carinho, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Mila: seu carinho é um farol... a luta e dor dos que sofrem é grande; abraços com carinho, jorge

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Anne vou lá ler seu texto ... e podemos ir conversando a respeito ... abraços

Norma ... sinto-me feliz em poder compartilhar a minha singela experiencia e melhor ainda que esse texto tenha sido lampejos de luz...

Mila obrigado por seu valioso comentario

E a você Jorge ... minha gratidão por esse seu lindi espaço que pode ser dito como um Cyber farol ...iluminando a todos nós ... abraços sempre

Rosi Alves... disse...

muito triste nunca passei mais ja tive amigos.beijos linda noite

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson: sua contribuição acolhe, orienta e intensifica a xcapacidade de cuidar...Abraços querida; jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: minha amiga querida, queria mais uma poesia -se possivel - pois já está quase pronto uma postagem co'as suas separadas... Beijose abraços com carinho, jorge

Concha Rousia disse...

Excelente análise, acho útil essa aproximação... com efeito a família tem, quase sempre, sua própria dependência da vida que gira em torno ao dependente, toda a estrutura familiar está afetada, e muitas vezes os limites da individualidade do dependente são traspassados em aras de o proteger da sua própria 'falta de responsabilidade' (perpetuando o círculo)... a solução tentada que se converte no primeiro problema, a ser resolto antes que a própria dependência química. Bom, reitero, muito interessante esta analise do Adilson, abraços para todos, e sempre grata a Jorge por nos oferecer coisinhas assim boas... Concha

Rosi Alves... disse...

...AMADO POETA VOU POSTAR MAIS!BEIJOS DIA DE PAZ PARA TI.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Concha: uma análise que nos toca, uma contribuição fascinante o nosso Adilson sempre oferece... Abraços com carinho, jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi, esparerei com alegria. Abraços com carinho,jorge