sexta-feira, 17 de junho de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: NAS TEIAS DO AMOR

                     Solilóquio
                                Adilson S Silva

A minha cara não lhe mete medo,
Nem o face a face e o olhar,
Vem que não há segredos,
Existem mil motivos para lhe conquistar.
Tudo é tão transitório,
E não custa nada sonhar,
De uma maneira simplória,
A vida é experimentar.

Não há becos sem saídas,
É só sair por onde entrou
O coração assustado,
Que de repente se apaixonou



            SEM FIM : ETERNA!!! 
                                               Paulo Cecílio

ela e eu morremos juntos, 
a mais perfeita morte: 
a morte travestida,  
nos detalhes do contidiano.

morte revelada súbita a cada instante.

nossa carne pútrida de sorriso não se cansa da morte: 
quando penso que agora morri, ela sorri pra mim de  novo...

6 comentários:

Rosi Alves... disse...

Linda demais as duas poesias.um abraço dia de paz!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi; poesias cheio de afetoe ternura; abraços com carinho, jorge

Marta Rezende disse...

Morreu, acabou. É o ser vulgar tagarelando a morte do outro.
Quando se trata da própria morte, o luto singular anuncia o virtual começo.

Bom dia Jorge, o blog está esplêndido hoje. Nõmade pleno.

beijos
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

marta, estou numa mescla da Upop-JA e da Marcha de amanhã. Cheio de querer ver "meus sonhos teimosos se realizar".., meio andarilho, no vento.beijos comcarinho, jorge

Anne M. Moor disse...

Poemas lindos que espelham momentos que já passei...

Parabéns aos poetas e a ti por compartilhar conosco.

beijos
Anne

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, abraços e minha grratidão pelo carinho: jorge