domingo, 12 de junho de 2011

POESIA: ASAS DA REBELDIA

                        SANTIAGO DE COMPOSTELA
                                                         Jorge Bichuetti

Compostela, caminho
da vida que se transforma
entre árvores ancestrais
e poesias que traduzem
as vozes da aurora...

A fogueira acessa
na praça... reluz;
a magia peregrina,
agora, vive acampada
nos sonhos insurgentes
da juventude indignada...

O sonho nasceu, de novo,
no corpo juvenil da esperança;
esta moça criança
que teimosa vê além
e sabe ler na fumaça
que turva os dias da gente,
o porvir necessitado
pela vida dos que choram...

Na praça, os passarinhos cantam,
os poetas se encantam e 
a vida se ajoelha,
não sabendo muito ao certo,
se ali, estão os druidas redivivos,
ou se simplesmente, estão
os anjos da liberdade.



                                O AMOR
                                            Jorge Bichuetti


O amor anda nas vielas
da vida poetizada
pelo calor do abraço
pela doçura do beijo
pelo brilho do olhar...

O amor é flor que cheira
nos caminhos tecidos
pela vida andarilha
pela sonhos vadios
pelos desejos sagrados...

O amor anda flor;
o amor cheira poesia...
É vida peregrina no voo
da tresloucada paixão
que fecunda na terra o cio
e no céu germina o orgasmo
entre estrelas e o luar
que enamorados faiscam
o fogo da comunhão.


                                   SOLIDÃO
                                               Jorge Bichuetti

não conheço a solidão
mortífera e vampiresca
que mata as ilusões e
dilacera os corações...

a solidão me quis
e ela me teve nos braços;
porém, os deuses me deram
amizade, beijos e abraços...

sigo, assim,cantando alegre;
versos novos de compaixão
entre as fagulhas do desejo
e a ternura da tua mão...



                                         PRECE
                                               Jorge Bichuetti

Oh! senhora da noite,
deusa dos amores
musa dos poetas -
tua luz é caminho
pra os que vivem sem ninho...

Lua, mãe, dos andarilhos,
não nos deixem esquecer:
a força que pulsa na vida
dos que sonham acordados,
alucinados de esperança,
crentes da tua magia,
que não te pedem ouro ou prata,
somente te querem, menina,
protetora e madrinha,
dos amores clandestino 
que na escuridão da noite
alvorecem de paixão...

8 comentários:

Concha Rousia disse...

Jorge... anjo da liberdade, libertas palavras que nos libertam... Aqui a minha promessa: lerei este poema na praça do Obradoiro, hoje talvez não possa mas esta semana eu vou ler, e dou deixar lá o poema para todos os moços e moças que mantem a voz viva na praça... a vos, essa nossa voz, como lume acesso... Abraços com carinho e ternura, Concha

Hermenêuticas de Lou disse...

Dr. sempre sinto serenidade nas suas palavras. Desculpe se, as vezes, desabafo por aqui. É apenas profunda admiração. Sinto sua falta no meu jardim enluarado. Apareça quando puder é claro. Meu carinhoso abraço. Lou Moonrise.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

concha, fizemos umritual indígena para ti e para os acampamentos; pela manhã; antes das atividades coletivas.
Foi lindo; lhe per cebo na natureza e na luta; e gostaria de aí estaar: estamos aqui; diga aos nossos amigos do acapamento de Compostela que contem conosco e diga no que podemos ser útil. A solidariedade é a vida; a vida por si mesma não se sustenta.
Abraços; jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lou: mje perdoe a ausência nestes dias tumutuados, de muita luta e trabalho; mas meu coração vive sintonizado em vocês. E se consigo energia pra lutar é porque sinto reforçado pelos que ausente são vivas presenças. Lhe agradeço o carinho; abraços , jorge

PORTAL DO POETA BRASILEIRO disse...

Meu querido amigo e companheiro de passagem .. ...voce é um homem de palavras e sonhos ... as palavras brotam de voce como fonte perene ....
num manancial de amor e fraternidade ....é impossivel passar por aqui e não deixar um rastro

abraços fraternos

Para dizer que não falei de amor

Quando é que o amor faz sentido?
Nos dramas vividos, ou
Nos sonhos nunca cumpridos?
O amor é loucura,
O ferro que fere
Um peito dorido
Ou o balsamo que cura?

O amor é tão distraído
Vai-se despercebido
Finge de perdido
Mas, chorar de amor
É já ter sorrido...
(©by Adilson S. Silva)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, seus rastros são sinais do caminho: estrelas que descem e beijam o horizonte e o caminho, meus abraços com ternura e carinho, jorge

Rosi Alves... disse...

Sua poesia é linda mais lindo ainda é seu coração.abraço carinhoso!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi, obrigado: quero ser filho da poesia com o luar voando no horizo0nte da utopia. Abraços com carinho, jorge