domingo, 11 de dezembro de 2011

POESIA: ENTRE O AMOR E A PAIXÃO, UMA FLOR DE TERNURA...

  NO BARCO DA EXISTÊNCIA
                              Jorge Bichuetti


Navegarei... Seguirei, buscando
no horizonte azul o rosto da utopia;
no caminho, semearei flores e pardais,
um canto de liberdade na ternura dos ninhos
que aprenderei a tecer no calor dos meus abraços...


Mas, esvaziarei o meu barco,
já não o quero com o peso das caravelas colonizadoras,
nem com os restos da vida
que se acumula e nos invade nos lixões do desamor...


Levarei meu silêncio e minhas cantigas, poesias...
flores, o luar e a aurora, na companhia dos meus camaradas de voo...
por que não? çevarei comigo o canto dos passarinhos...


Numa explosão diarréica, deixarei 
mágoas,
ressentimentos,
intolerâncias,
soberba,
a palavra ferina,
os olhares ácidos
e o meu vício de saber....


Semearei uma flor de ternura...


E então, nu, partirei... buscarei as estrelas
com a leveza da pluma que flutua 
entre o céu e o chão...


                     A MAGIA DA ROSA
                                     Jorge Bichuetti

as rosas nascem e perfumam
livres, cantam silenciosas e o
mundo escutando-as aprende
a rosear:
Um Rosa no Sertão, nos becos,
uma constelação de rosas nas
loucuras de amor da multidão...


                        ENTRE PAIXÕES
                                  Jorge Bichuetti

entre paixões, perambulo:
ora, amo a volúpia do cio;
ora, voo das asas ternas
da mão amiga que leva
por caminhos singelos onde
a relva verdeja, refletindo o sol...

Assim, é a vida: ora, corro co'o vento;
ora, adormeço nos braços d'uma oração...

2 comentários:

Rosi Alves... disse...

Bom dia!semana de amor e muita paz...
Na trilogia desses amor...

Essa ressonância que interliga os dias,
São as horas de alarde que vivi a sua espera
À surdina que sussurra o ato incontido do cio
Faz-me provar desse ávido veneno de te amar.

Bordo ambígua tua alma na vastidão dos sonhos
Me liberto das amarras do querer eterno...
Voo na liberdade profana de suas mãos
Absorto pelo amanhecer a fitar seu olhar.

Na trilogia desses versos quero ser eterno
Somente teu amor, seu pedaço de chão
Uma estrela que brilha em teu céu
Se possível for um inesquecível amor.
(Rosi Alves)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi Alves, sua poesia é sempre um eco da ternura maior; abs ternos, jorge