terça-feira, 19 de abril de 2011

DIÁRIO DE BORDO: COMPROMISSO E ÉTICA, VIDA DE PARTILHA E INSURGÊNCIA ATIVA...

                                                 Jorge Bichuetti

No céu, a Lua brilha... toda formosa; despede-se e espera o novo dia para lhe entregar as chaves da vida... Contemplo-a, só... eu e meus álamos... Luinha dorme; anjos de anjo... Silêncio. Esperamos o alvorecer... Eu e meus poetas... Eu e minhas vidas vividas e vidas na espera que perambulam no vão que forma um livro e outro na paisagem da minha biblioteca... Espero o alvorecer...
Romantismo matinal... Florescem as utopias... Escuto Paulinho, o da Viola, e com seus sambas... entre um sinal fechado e uma rebeldia, pergunto-me: com quem irei pegar meu lugar no futuro?...
Humano, oscilante, paradoxo... Me vejo carácter não fotografável pelos olhos de quem não caminha... com o povo, com as lutas... com as utopias...
Humano, não codificável, um perene refazer-se... Me sinto um carácter não sentido pelos que não aprenderam que vida é vida de partilha e insurgência ativa...ética do cuidado; ética da alegria; ética do bem comum... ética da solidariedade... ética do devir: bons encontros e paixões alegrias. Rebeldia que sai do universo parasitária das palavras vazias e se faz palavras de vida na realização do amor entre os peregrinos da caminhada com o povo... Assim, deixo os narcisistas parasitas e penso nos que caminham, revolucionando a vida com atos, atitudes, produções de vida...
A incoerência, o discurso de palanque dos que dormitam na sala de jantar," acostumados a viver e a morrer", no torvelinho anestesiante das próprias ilusões não me dizem nada... Procuro um sentido... O sentido se produz na estrada; no estradear...
Quero, então, me ver e saber de mim, lendo-me na aura dos meus compromissos...
Compromisso, engajamento vivo, vitalizante, caminhada de partilha...
Longe, a vida se desumaniza e se perverte: vida egocêntrica; pólo paranóico; discurso politicamente correto; porém, longe da revolução que vida pulsante na aliança diária com povo e a liberdade; com os direitos humanos e ternura; com o direito à diferença e a singularidade; com luta materializando o por-vir, agora, e atualizando, dando vida à justiça e à esperança...
Ressuscitemos Sartre e voltemos a nos perceber engajamento, engajamento ativo e vivo... não apenas pensamento divorciado da própria história de vida.
Os livros me jogam num oceano de ideias e ideais... contudo, penso, aqui, refletindo, amigo, nós e o luar, que o sentido da vida se constrói na caminhada... Olho, então, a paisagem... E nela busco os compromissos que dão sentido à vida e a minha vida...
A loucura incluída, acolhida e cuidado na ternura da con-vivência diária me faz gente, gente´-povo...
O trabalho da educação em movimento no esforço coletivo de construção da Universidade Popular  no diálogo e luta nos passos permanentes de uma utopia, me tira de mim, já não sou eu, sou meus compromissos que radicalizam minha vida e faz vida peregrina no estradear árduo da povo oprimido que sonha e necessita, espera e suspira pelo alvorecer da libertação...
O estar, diariamente, nas invenções instituintes da nossa latinoamérica me dá vida nova... errante, me sinto Madres, Uruguai insurgente, Venezuela resistente, Zapatismo revolucionário para além da cartilha... Auscuto o silêncio e as vozes dos oprimidos clamam... Cuidar, acolher, rebelar-me... estar com eles na caminhada é minha trajetória... minha vida.
Que diálogo é este?... A que se destina?... Converso na quietude do dia que amanhece comigo mesmo e procura re-afirmar meus compromissos... Cartografar o meu perambular com o povo pela utopia ativa de uma nova Terra e um povo por-vir...
Procuro saídas, sentidos, pulsações vitalizantes, efervescência existencial: e as encontro na solidariedade, caminho novo da insurgência...
A solidariedade é ética, estratégia e espírito vivo...
Por uma nova suavidade...
Pelo socialismo libertário que nascerá da rizomatização dos processos insituintes, vejo a vida e diante das preocupações com o tempo, me sinto tempo ocupado na alegria da caminhada com nossa gente, com nossos sonhos, com a eletrizante experiência de devir-se povo, povo andarilho na resistência, na rebelião, nos sonhos da vida florescente já, vida na aurora do porvir...


DIA 22 DE ABRIL: DIA DA TERRA - IYI-PORÁ... ARTE , SONHOS E LUTA NO TEU...

2 comentários:

☯ℒ❀LuGoyaZ❀♬✪ disse...

Oi amigo querido! Grata por compartilhar. Tenha uma continuação de uma linda semana. Cumprimentos da amiga LuGoyaZ.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lu, uma boa semana; a vida é partilha e utopia, sememos as floraçõese anunciemosa primavera. Abraços, Jorge