sábado, 5 de novembro de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: VAPORES NOTURNOS NA POESIA DE ADILSON S SILVA

                 Irreverência

                           Adilson S Silva



Um tamborim marcava
O compasso,
O passo,
O cansaço.
No botequim,
O copo,
O traço,
A cachaça...
Na alma
Argamassa,
Cimento,
Traço,
Da Massa,
Reboco...
Não troque as pernas,
Olha o troco!
Som de violinos,
Olha o louco!
Uma noite já no fim..


DO BLOG: http://rimastruncadas.blogspot.com

2 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Jorge .... bom sempre estar aqui .... o meu abraço fraterno de sempre ... amigo .... bom domingo

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson; meu carinho e muita paz... com belas poesias e caminhos floridos; jorge