domingo, 3 de abril de 2011

DIÁRIO DE BORDO: CUIDAR DE SI, CUIDAR DA VIDA...

                                                         Jorge Bichuetti

Madrugado. Cantoria de pássaros... eles e eu esperamos as badaladas dos sinos da Igreja. Ainda não encheram, encantados,  o ar da cidade com sua romântica prece. A Lua dorme, ontem, ela reinou soberana... A outra, a do céu, não apareceu, se ocultou nas nuvens da chuva que caia, mansamente, como se quizesse descansar os homense o mundo de tanto dor que anda emergindo, aqui e acolá, por todo canto...
Chuva. TV... e na TV um lamentável fato. Um deputado que jurou defender a constituição, aos brados raivosos do fascismo, excomungava da vida civil negros e homossexuais... Continua livre. Será avaliado por seus pares. Não é um criminoso comum...
Grave é este crescente movimento de intolerância... Esta violenta mobilização das mentalidades fascistas que negam o direito a diferença e a própria convivência com o plural, com a diversidade.
Negros, homossexuais, o povo da rua, pobres, portadores de sofrimento mental e de deficiências físicas, crianças, velhos, imigrantes, dependentes químicos, índios,trabalhadoras do sexo, transsexuais... são hoje novamente atacados à luz do dia... Nas ruas, nas fábricas, e no próprio Congreso Nacional...
e, novamente, como no extermínio dos povos indígenas e na crueldade da escravidão, a religião, Deus, é usado como inquestionável justificativa...Crucificam em nome da Cruz...
A constituição de 1988, a constituição dos direitos, é tripudiada, negada, estuprada... e parece que os homens de bem não percebem o perigo.
Dos microfascismos nascem Hitler, Mussolini, Franco, AI5, Reagan... e todos violentos autoritarismos que deixam a Terra coberta pelo sangue das suas vítimas nas fornalhas do arbítrio.
É preciso cuidar de si; é preciso cuidar da vida...
                                                       ***
O direito à diferença, a sociedade plural e o espaço da diversidade compõe a democracia... Não há democracia sem direito à diferença, sem pluralismoe sem diversidade...
                                                       ***
A sociedade que se mantinha organizada e atuante, novamente, caiu no canto da sereia... Todos nós nos sentimos representados pelo voto dadoe só voltamos a pensar, politicamente, numa nova eleição... E aí pensamos, alheios ao que se deu e aconteceu no Congresso, nas Câmaras Municipais e nos órgãos dos diferentes execitivos... Votamos... E é nosso voto que dá legitimidade ao arbítrio...
Será que nosso vida e a própria vida da humanidade e do planeta podem ser, assim, defendidas?...
Cuidemos de nós, cuidemos da vida, diariamente.
                                                      ***
Combatamos o fascismo: em nós, no outro, na comunidade, na cidade, no país...
Não esperemos os campos de concentração para dizer não... Basta de violência, chega de intolerância... queremos a paz; queremos o amor...
Não fiquemos parados aguardando a visão dos corpos empilhados e pulverizados pelos fuzis da intolerância... Digamos já, sim... Sim à vida, sim à convivência pacífica entre os diferentes... Sim à un mundo de inclusão e justiça social...
Cuidemos de nós, cuidemos da vida... Com ousadia, valentia, ética e respeito ao outro...
Cantemos com Hebe de Bonafini, a mãe da praça de maio, que na dor da perda de seus filhos, dedica sua vida à humanidade: O outro sou eu...
                                                    ***
Com certeza, O Cristo chora... Vendo a morte sendo chamada em seu nome... Vendo a exclusão sendo estimulada, realizada e multiplicada em seu nome... Ele que um dia foi a diferença negada pela intolerância... Ele que um dia foi crucificado pela crueldade dos que não suportam conviver com a diversidade... Ele, com certeza, chora... E os que em seu nome proclamam a exclusão, a violênciae o extermínio, nem mesmo consegue ouvi-lo na acústica da memória, dizendo, ternamente: eu vim para que todos tenham vida e que a tenham em abundância...

12 comentários:

Tânia Marques disse...

Concordo plenamente contigo, com o que escreveste e com os teus sonhos, mas tudo tem um sentido de existir, nada é por acaso, atrás de cada ato um interesse subjaz. Escrevi, agora pela manhã, um texto que retrata uma parte do seminário sobre Bauman, pois foi muito longo e intenso. Daria para escrever um livro. A questão da Educação eu ainda nem toquei. Espero que gostes, meu leitor querido. Beijos em teu coração.
http://wwwestudosculturaisemeducacao.blogspot.com

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tãnia, irei ver teus escitos, sempre vou por u aprendizadoe alegria que me contagia... Queria lhe pedir um favor: nós na construção da universidade popular ( Upop-JA) temos um debate com ideias e sonhos que me parece um fermento importante... Se você em algum momento organizar os pensamentos que está tendo do Bauman, em alguns parágrafos ou já num texto que você irá utizar, me mande, pois quero fermentar debates na Upop... E suas ideias e o modo como a anicaia me encanta e sei que encanta o mundo... Abraços com ternura, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tânia, qual é o livro chave do Bauman?
Perdoa-me meu oportunismo... é quem muitas vezes me acerquei de autores pelo que não era o mais fecundo.
abraços com muitísssima ternura, Jorge

Tânia Marques disse...

Vida Líquida,
Modernidade Líquida,
Amor Líquido,
Legisladores e Intérpretes,
Modernidade e o Holocausto,
Globalização: as Consequências Humanas;
Vidas Desperdiçadas.
Todos essão são impresncindíveis, mas o eixo temático é praticamente o mesmo, ou seja, todos os assuntos são abordados de acordo com a Modernidade Líquida em oposição à sólida. Escrevi no post último. No curso havia médicos com especialização em psquiatria, para se atualizarem e entenderem a lógica desse mundo que facilita o aparecimento de doenças mentais nos que o vivem freneticamente sem saber o porquê de terem tantos e tantos desejos satisfeitos e estimulados em nome de um quinhão de felicidade. Lá na minha página tem vário vídeos e slides que capturei da internet antes do curso. Posso escrever para ti falando.Bjs

Tânia Marques disse...

Jorge, em maio o Bauman estará em São Paulo e em Porto Alegre. R$ 745,00 o pacote de palestras.Ele está com 83 anos, nasceu um ano após minha mãe. Ele se aposentou em 1990. Foi depois dessa data que ele começou a registrar as suas observações e não parou mais. Como está com idade avançada, hoje ele reúne uma equipe que o auxilia. Beijos

Tânia Marques disse...

Jorge, tu lembras que eu havia falado das ervas daninhas do teu jardim...rsrsrsrs, num dos teus posts eu disse que elas tmb tinham uma função. Pois é, a modernidade sólida deu conta disso, de limpar o jardim e produziu o maior refugo que a humanidade já conheceu, o mesmo que hoje consome o lixo nas latas de lixo que os consumidores em potencial jogam o seu excedente. Talvez para isso exista o "lixo humano", para consumir o lixo excedente do consumo desenfreado das "melhores e mais lindas flores do jardim". Beijos

Tânia Marques disse...

E o que fazer numa situação de modernidade líquida com os excluídos do jardim?
Antes, isolá-los, afastá-los do convívio social, hospitais para não contagiarem endemicamente as belas flores, hospícios para as belas flores não se contaminarem com os questionamentos verdadeiros provindos daquilo que eles chamavam de "loucura", reclusão penitenciária às ervas daninhas que precisavam sugar o néctar das belas flores para manterem-se vivas diante do desejo de "ter" que lhes foi incutido freneticamente pela mídia. Temos que ter cuidado com o tipo de inclusão que ocorre hoje, ainda mais se ela não leva o excluído ao trabalho, para que ela (a inclusão) não se torne apenas uma mudança de lugar para controle.

AUGUSTA CARLOS disse...

JORGE GUERREIRO, COM CERTEZA CRISTO CHORA E NOVAMENTE AGONIZA NA CRUZ DA INTOLERÃNCIA, DA CORRUPÇÃO ESCANCARADA QUE IMUNDA NOSSAS VIDAS E VIAS. A POLITICA SÓ SERÁ UM POUCO MELHOR QUANDO OS CANDIDATOS NÃO FOREM REMUNERADOS, QUANDO FIZEREM SERVIÇO VOLUNTÁRIO TENDO COMO FONTE DE RENDA SEU PRÓPRIO TRABALHO. A CONSTUTUIÇÃO, O ECA, E TODAS AS OUTRAS LEIS TEM BRECHAS E MAIS BRECHAS QUE LEVAM AOS DESSMANDOS E ABERRAÇÕES. INFELIZMENE ELAS SÓ ACABAM VALENDO "AS PUNIÇÕES" PARA OS POBRES ELEITORES. É UMA VIA DE MÃO ÚNICA, LAMENTÁVEL VIA DE MÃO ÚNICA.
MAS CONTINUEMOS A BRADAR NA MULTIDÃO, CONTINUEMOS A APONTAR AS FERIDAS, A ACOLHER E CUIDAR DAQUELE QUE ESTÁ MAIS PRÓXIMO NA DOR DA VIOLAÇÃO DE SEUS DIREITOS MAIS QUE HUMANOS.E A DIZER-LHES QUE CRISTO LEVOU O LADRÃO ARREPENNDIDO AO PARAÍSO. NÓS SOMOS " USURPADORES" TAMBÉM POIS VOTAMOS NAQUELES QUE LÁ ESTÃO.MAS NOS ARREPENDEMOS AMARGAMENTE E BUSCAMOS AO MENOS PALEATIVAMENTE REMEDIAR ESTA SITUAÇÃO "APERRIANTE".

AUGUSTA

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tãnia, irei ver se consigo algum destes livros hoje mesmo... quanto as ervas elas convivem bem comigo; porém, sinto que há uma mediação que eu não consigo por falta de disponibilidade: numa horta orgânica o que é erva é funcional; assim, fazemos com os diferentes , pedem tempo, atenção, lugar diferente, aí excluímos... sinto que liquidez do mundo traz algo bom, porém, se absolutiza inibe o humano: seria bom conseguirmos ser sólidos e fuidos... Nada tão hegemônico que não nos permitisse por exemplo, meus eternos retornos que me são tão caros... ando, Tânia, pensando muito no conceito de inclusão diferencial... que seria amerda da sociedade mundial de controle e a vejo no brasil com traços fascistas... Vamos conversar mais. é tão bom, me escreva... Lhe tenho com carinhoe admiração, abraços cheios de carinho, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Augusta, sinto que estamos vendo algo semelhante: um outro mundo passa por alternativas que não se darão dentro doestado, mais nas nossas utopias molecularmente vividas, porém, multiplicadose conformando uma rede de vida.
abraços com carinho, Jorge

♫ ♪ Wilson Hardy ♫ ♪ disse...

Amigo,

Um dos preconceitos mais comuns num país onde a desigualdade económica se torna cada vez mais visível, é o social. A disparidade entre as classes sociais e a estratificação das mesmas torna-se algo impossível conviver no dia-a-dia.
Às injustiças sociais, o ideal seria que elas não existissem,
porém, isso é impossível.
Temos o sonho de continuarmos sempre combatendo essas injustiças
e ajudando a construir um mundo melhor.
A responsabilidade é de toda a sociedade.
É a missão de todo cidadão responsável incluir na cidadania, os excluídos.

Tenha uma semana abençoada.

Abraços e fica com Deus.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Wilson, sim, a dor da miséria e da exclusão social fere... algo, necessitamos fazer. Penso, pessoalmente, que h´´a um níel da bondade e generosidade; outro da solidariedade e da economia solidária, dos trabalhos de inclusão e um outro da luta política, da defesa dos oprimidos... Não hierarquizo, acho que damos onde o nosso chama...Paz... Uma semana de luz, abraços com ternura, Jorge