terça-feira, 5 de abril de 2011

A ECONOMIA SOLIDÁRIA NA REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: LIÇÕES DO CAPS-MARIA BONECA

                                                         Jorge Bichuetti

Todos necessitamos de reabilitação psicossocial: processo que dá vida, desenvolvimento e sustentação às nossa habilidades perdidas ou não-vividas; inibidas e atrofiados ou somente um dia sonhadas... Todos temos nossas desabilidades...
Contudo, a Reabilitação Psicossocial cuida do trapo autista, do corpo danificado e da vida estropiada dos portadores de sofrimento mental...
Se são a diferença e a singularidade, o porta-voz e o emergente, por que se encontram, assim, tão mortificados?...
A crise e o sofrimento mental é a diferença virtual que ameaça e denuncia, nega e profetiza... e assim é estigmatizado, segregado, discriminada, isolado, excluído, cronificado como desvalia e uma vida restritiva e coibida... Baremblitt afirma que "o psicótico é a surra que o simulacro levou do sistema"...
Assim, cuidar é re-abilitar...
Sarraceno, inspirado no marxismo, conceituou o processo de reabilitação psicossocial , dimensionando-o  nos seguintes campos e planos da vida:
 1. o morar; 2. o trabalho e o trocar e 3. o exercício da cidadania...
Nunca negamos Sarraceno, nem nunca quisemos superá-lo... Contudo, a compreensão, primeiro, da loucura como negação do mundo de vendedores e vencedores(Baremblitt) e a nossa experiência clínica,aliada, às leituras de Nize da Silveira, Deleuze-Guattari, Foucault e os surrealistas, nos levaram a acrescentar nos campos e planos da reabilitação psicossocial, novas dimensões:
4. o cuidar de si e a estética; 5. as relações amorosas e de amizade; 6, a alegria e a festa; 7.as redes sociais de produção de vida, solidariedade e partilha ( respeito e cooperação mútua); 8. vida de comunidade; 9. a militância antimanicomial e por uma nova ética e um outro mundo possível; e 10. as vivências de espiritualidade ( ativa ou reativa; alienante ou libertária; participativa ou submissa)...
Deste modo, poderíamos ousar afirmar que trabalhamos com um conceito de Reabilitação Psicossocial Ampliada.

                               ECONOMIA SOLIDÁRIA E REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL

Nossa vivência na esquerda nos levou a um apaixonado namoro com a economia solidária... Contudo, foram eles os usuários que nos a revelaram como campo de produção, trocas e consumação e de sociabilidade solidária e generosa que lhes eram um caminho que não lhes machucavam o corpo, ao contrário, os potencializavame os faziam felizes...
Trago, aqui, uma lembrança: Natanael, um artista, que anos e anos sem fim, viveu num hospício... Fazia macramê... Produzia pacientemente suas obra de arte... quando lhe convidamos para que pudesse expor suas obras e, comercializá-las, nos olhou, sereno e firme e disse: minha arte é para presentear meus amigos e os meus amores, não vendo... não me vendo...
Doutra vez, numa gloriosa e verdadeira Semana de Arte com quadros de autoria dos usuários, vimos o sucesso e a alegria, porém, nenhum quadro foi vendido...Inconscientemente, os terapeutas colocaram, junto com os usuários preços que revelavam o desejo de manter as obras no espaço das nossas vidas...
A competição, a ganância, o lucrar sobre o outro agride a subjetividade singular dos portadores de sofrimento mental...
Já com a introdução da economia solidário se viu uma revolução: produzem, divulgam, trocam, comercializam... e se sentem afirmados no produto final e na riqueza gerada que solidariamente partilhada.
Temos hoje sob a coordenação da Terapeuta Ocupacional e militante da luta antimanicomial, professora Dra Sónia Geib, com a participação de outros agentes( Graça Machado, Taciana Marcelino, Daniel Adão e a Norma da SEDES vários núcleos de economia solidária:  O Sabão Maria Boneca ( produzido com a reciclagem do óleo previamente usado); Sacolas Customizadas ( num projeto de luta contra o uso do plástico); Chinelos; Broches, botons e prendedores  feitos de flores de retalhos de pano; Bonecas Artesanais; Bijuterias; Tapetes, cachecóis e bordados e vagonite em panos de prato; Camisetas customizadas... Sete núcleos de economia solidária do projeto Maria Boneca... Com a participação de cinquenta usuários...
O resultado é inegável: gastam com orgulham, planejam autogestivamente, negociam conflitos e vivenciam a potência da cooperação no dia-a-dia...
A altivez serena e suave, a alegria esfuziante e a alteridade revelam que se sentem com habilidades singulares e com vivências coletivas de solidariedade que nos ensinam o que pode a vida quando a vivenciamos na transversalidade da produção desejante e do da liberdade terna dos coletivos de cooperação e liberdade.
Durante o primeiro e segundo Congresso Internacional de Esquizoanálise e Esquizodrama, ocorridos em Uberaba, em 2009 e 2010, eles, o povo da economia solidária foram quem cuidaram do restaurante e do bar, montados por eles mesmos e com a mesma filosofia: era a autonomia ganhando expansão e e versatilidade...
No campo da comunicação, arte e  cidadania: os usuários realizam o jornal Maluco Beleza, a revista Maria Boneca Magazine, oficinas de cidadania e poesia, pintura e desenho... Já tendo lançado um livro: Poemas de Vida...
Assim, caminha nosso processo de reabilitação psicossocial onde o tralho devém economia solitária, o lazer, festa, a subjetividade, arte... e a cidadania, luta.. caminhada.... utopia... um sonho e um amar...

                              AS FESTAS... CURA EMANCIPATÓRIA E AS PAIXÕES ALEGRES

As festas unem, dão pertença, vitalizam... Desestigmatizam... Cria comunidade e conecta com outras comunidades...
Uberaba deviu-se antimanicomial... vendo loucos, estudantes, militantes e trabalhadores da saúde na tradicional boate que ocorre há doze anos na mais famosa boate da cidade: som, dança, alegria... vida contagiante... Corpos de potência nos bons encontros regidos pelas paixões alegres...
Cachoeiras, rios, matas... Vilas, parques... O passeio entra no arsenal da reabilitação ampliando o nosso, deles, usuários e nós, terapeutas) repertório de vida , de vida para ser feliz, sereno, na natureza e na história, no lazer... Re-composição e reinvenção das vidas.
Hoje, mantemos muitas festas: Natal, Páscoa, festa junina, a noite de massas, o carnaval da inclusão, a semana da luta antimanicomial, a a feijoada... Os reabilita e os fazem caber na sociedade e na cultura...
Todos sorriem, cantam, brincam, dançam... vivem...

                                        UMA ÚLTIMA PALAVRA...


O TRABALHO SOLIDÁRIO, A ALEGRIA PARTILHADA E A INVENÇÃO DE UM ESPAÇO DO NOVO ONDE FLORESCE COOPERAÇÃO, VIDAS PULSANTES E INSERÇÃO SOCIAL COM TROCAS ENTRE ELES E A COMUNIDADE VEM RE-FAZENDO NOSSAS VIDAS...
APRENDEMOS O QUE PODE O AMOR... O QUE PODE A ALEGRIA... O QUE PODE A SOLIDARIEDADE E O QUE PODE A CIDADANIA , SE TUDO É VIDA DE LIBERDADE, ONDE O BRINCAR E O SONHAR TECEM NOVAS SOCIABILIDADES...

Nenhum comentário: