terça-feira, 14 de junho de 2011

POESIA: ASAS DO DESTINO

                           CÍRCULO VITAL
                                            Jorge Bichuetti

Transmuta o ser
no torvelinho das lutas;
onde o guerreiro 
desbrava matas e horizontes,
caçando no luar
os segredos primevos da vida
que se reflete no coração da Terra...

Sucumbe no caminho
os escravos do medo;
que se acovardam ante a dor,
esta selagem fera,
onde se aprende as lições
do enigmático alvorecer...

O Sol, mordomo do dia,
injeta na vida o calor,
a euforia e o espírito de luta;
já a noite, andarilha do amor,
sacode os miasmas do tempo
e dá nos fluxos da compaixão
o dom de recomeçar...

Assim, circula o tempo;
assim, a vida caminha
nas voragens do vento - 
uma ciranda permanente
de ser e se transformar...


               HAIKAIS TRANS-NATURAIS
                                                        Jorge Bichuetti

marimbondo pica
a pele imersa no mel
da abelha que voou...
***
a seperpente não
chocoalha na dança do 
suave e doce luar...
***
a jaboticaba,
debaixo da terra, acaba
devindo cachaça..


                               TRAMAS CONVEXOS
                                                       Jorge Bichuetti

caminhos
              pios
no mato
        agreste
              soa
assombração

rosário
            pio
no canto
            lacrimeja
            ecos
celestiais

cirandas
            miam
desejos
           silvestres
      entre
o temor e o êxtase
      voo
     lunar


          TROVINHA SENSUAL
                                           Jorge Bichuetti

Quando sibila o amor,
a vida canta festeira;
os corpos se incendeiam
no sapecar da fogueira...


                                 AMOR INTEMPESTIVO
                                                             Jorge Bichuetti

Se amo
não esqueço;
penso dia e noite
não sossego 
meu desejo
que na vela sigela
alucina
as noites de lua cheia...


2 comentários:

Rosi Alves... disse...

amei,círculo vital esplêndido!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi, as poesias da vida. A cirando do dia-a-dia. Abraços, jorge