quinta-feira, 14 de julho de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS: ENTRE POLOS; A ESPERANÇA NA CORDA... GIRA...


            MENTIRA!!!
                       Paulo Cecílio
Querem esperança?  
não há!   

Bom dia? não há!
Fomos derrotados.

Secamos rios, e rios,
vendemos nossos amores...

No perfume do jasmim,
ainda canário, um peixe!

Pela porta:

o amor saiu pela porta:
não suportou Hiroshima!     





                 ALÍVIO!!!
                         Paulo Cecílio
acordei de um pesadêlo
onde a esperança se esvaia
os pássaros eram mudos
os rios desabitados
acordei todo suado/atônito
como se acorda de um pesadêlo.
reencontrei a esperança
a verde esperança cravada no isopor
com alfinete de colecionador
o sabiá cantando empalhado
nas pilhas do gravador
banho-me em cachoeira douradas
por detergentes da melhor marca
no empório, junto com carne seca
vende-se amor desidratado...



2 comentários:

Rosi Alves... disse...

Bom dia! amei as poesias.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Rosi: obrigado pelo carinho; abs ternos, jorge