terça-feira, 6 de março de 2012

POESIA: POR UM VINTÉM DE TERNURA!!!

                          NO QUINTAL
                                  Jorge Bichuetti


O bailado dos álamos, sob a força do vento,
trisca lascas no coração do infinito... Estrelas
flutuam, então, nas linhas da minha mão... Eu
só sinto que na poeira do tempo os minutos
são repiques sibilantes da sinfonia enternecida
que dá vida e esperança aos caminhos sem fim
da primavera reinante nos encantos da imensidão...


Meu quintal, singelo e pobre, é um canto de
ternura... vidas entrelaçadas, sonhos e poesias,
a simplicidade verdejante... rosas enamoradas:
um azul na epiderme  do corpo da compaixão...


                          PASSARINHAR...
                                       Jorge Bichuetti

Não pule no abismo...
Monstros no escuro
devoram os nossos sonhos de vida.
Voe... Alado de esperança,
saltamos no infinito e encontramos descanso,
na vida generosa dos ninhos de ternura
que entre nuvens e estrelas, acolhem
parindo novos caminhos
onde a maldade do mundo
nos captura e escraviza,
roubando-nos a liberdade
de ir borboleteando
numa ativa busca
pelas terras do porvir...


O mundo cruel e cinza 
acorrenta a esperança;
porém, a morte só estropia
os que abadonam seus sonhos
e engaiolados desistem
de guerrear pela vida
num suave passarinhar...

2 comentários:

Anne disse...

Poemas lindos a espelhar o real da vida - o abismo escuro e o voar com asas abertas. Tao difícil as vezes e tao bom em outras...

beijao em um momento de borboletear nos pagos do Uruguai...
Anne

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, a poesia me alucina e me dá sonhos, quietude e voos... nela, meu carinho a Mario Benedetti, o poeta terno e insurgente do Uruguay que marca com tanta saudade... Abraços com carinho, jorge