quinta-feira, 10 de março de 2011

POESIA: ENTRE A PAIXÃO E A COMPAIXÃO...

                                     ESTA ROSA
                                                   Jorge Bichuetti

Esta rosa que lhe trago,
não é uma nova promessa,
nem o desejo de perdão
para os meus erros banais...
Esta rosa vem do sonho
de um amor sem limites,
feito de ternura e paixão,
singelo, como  os pardais...

Esta rosa é o sonho
de que possamos na vida
romper as fronteiras
que separam o amor vivido
das nossas tecidas poesias...


                        FOME DE AMOR...
                                                 Jorge Bichuetti

Lá fora, muitos choram
de fome e solidão;
aqui, nos reclamamos
do jogo da ilusão
que turva a alegria
do amor e da paixão...

O paõ que mata a fome,
não cura o coração!...

Amemo-nos, então,
no céu da compaixão...


             VIA CRUCIS DA MULTIDÃO
                                                  Jorge Bichuetti

Na sarjeta, ele dorme
e vive, ali, esquecido;
todos passam e nem olham,
sua vida já não faz sentido...

Se o metal governa o mundo,
a vida é humanidade;
um homem caído, hoje,
se torna infelicidade

de todos os que o viram
e se negaram na bondade
que era a providência

da vida que é resistência,
nunca abona a maldade
dos que, ali, nada viram...


                              PAIXÃO E LUARES
                                                Jorge Bichuetti

Tudo inicia encantado, um mundo de sonho e magia;
depois, a rotina corrói e só floresce se no camiinho
semeou-se flores de ternura e luares de poesia...

O desejo vem e vai, errante e volúvel, passa;
o amor fecunda se enraiza, eternizando o belo
e o fascínio daquele esquecido primeiro olhar...


                           PAIXÕES ESTELARES...
                                                     Jorge Bichuetti

Um beijo na luz do luar...
Palavras que sabem
atiçar um novo brilho
e acender a fogueira
numa longa noite fria...
Um canção, uma flor...
Um carinho, um louvor...
Carícias que sabem
falar do amor e da poesia
que vibram na pele
e no corpo, enlaçando
duas almas na fusão
de um só prazer...

Amor: é vida e ninho,
um sonho e um caminho,
partilhados na alegria
de um tempo que se dilui,
sendo o ontem e o hoje,
também, um novo dia...

7 comentários:

Tânia Marques disse...

Teus poemas soam como plumas aos meus ouvidos, como algodão doce em parque, como sereneta ao luar. Beijosssssssss

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tânia, hum, obrigado... Penso na poesia como um caminho de ser contagiado pela vida-ternura e também um meio de buscar ativamente esta vida,
Abraçs com carinho...
Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Tânia, hum, obrigado... Penso na poesia como um caminho de ser contagiado pela vida-ternura e também um meio de buscar ativamente esta vida,
Abraçs com carinho...
Jorge

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Bom dia meu companheiro
Sua produção é fantástica ...e seus versos enebriantes pelas sua sonoridade ...pbens .... abçs

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, amor suas poesias e seu jeito de ser... Assim, tomo a liberdade de lhe convidar para uma entrevista, a Tânia vez uma, coisa de amigos, era esta a intenção deste que foi criado a postagem: bons encontros... Já teve muitas... depois, parou. Estou retomando, se aceita meu convite, me envie seu email ou diga se prefere que poste as perguntas no rimas... Será grande a alegria...
Um abraço carinhoso, Jorge

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Jorge adorarei participar sim ... anote ai
adilson3054@hotmail.com
Abraços

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, logo , lhe enviarei as perguntas... abraços, jorge