segunda-feira, 14 de março de 2011

POR UMA NOVA SUAVIDADE...

                                                 Jorge Bichuetti

Toda vida que levamos nos conduz a uma realidade íntima. Aflição ou serenidade; auto-confiança ou ciúme; desespero ou esperança; paz ou guerra... Refletem o mundo, mas, igualmente, nos retratam na vida que cultivamos como valor de eternidade.
Eternizamos situações de dor e de fracasso... Fixamos nelas e as esperamos como se fossem fatalidades intransponíveis.
A vida psíquica tende ao movimento; toda cristalização envolve um gasto extra de energia e vida.
Imprudentes, selecionamos as piores experiências e reificadas no mundo mental, passam a centralizar um processo que flui naturalmente para a diversificação e para a mudança.
Assim, inconscientemente, criamos repetições que tendem a confirmar nossa lenda de vida adotada.
Tudo influi no nosso funcionamento psíquico: o que pensamos, o que lemos, o que conversamos, o que vemos, o que escutamos... Desta forma, ou selecionamos o que desejamos como elementos da nossa máquina de produção da vida, ou somos capturados por fixações, condicionamentos e limites erguidos e dados como verdades...
Tudo tende à mudança... O fora e o dentro...
Ninguém é permanentemente o mesmo, podemos nos transformar e transformar o mundo.
É necessário escolher, optar e lutar...
Para isso, urge definir o que desejamos da nossa vida e que mundo queremos para nós e para os que virão...
Nenhuma mudança surge milagrosamente da vontade inerte.
Precisamos de perseverança, esforço continuado, disciplina e bom ânimo.
Toda caminhada inclui batalhas e estas são algumas vezes lamentáveis derrotas , doutras vezes, gloriosas vitórias...
Quem desiste na derrota não caminha para a vitória; e que se paralisa na contemplação de uma vitória é surprendido por derrotas inesperadas.
Lutar é caminhar, sonhando... Lutar é sonhar, partilhando... Partilhar, é caminhar, superando os limites do eu e se intenficando nas coletividades que abrigam os mesmos ideais e sonhose, assim, se fortalecendo na conjugação de vidas que se aliam e se somam na busca de um novo amanhecer.
Todos vivemos diversas grupalidades...
Nelas, somos subjetivados, ativa ou passivamente...
Se queremos uma nova vida, potente e alegre; necessitamos de agir, ativamente... Escolhendo caminhos, horizontes e parceiros de caminhada.
Um livro, uma paisagem, uma cantiga, também, são parceiros que elegemos para a construção da nossa vida.
Tudo se resume na definição matriz: o que queremos?...
Se queremos, para e para o mundo, uma nova suavidade, devemos ir conectando-nos com o terno e afável, com as lutas pela paz e pela não-violência, com o amor e solidariedade...
A suavidade é produzida nas campinas do amor.
A suavidade nasce e emrge das batalhas pela afirmação da vida, para todos e com todos...
E a suavidade rompe as muralhas deste mundo de exclusãoe violência, através de vidas que renovam nno caminho re no caminho persistem como vidas que dão pela paz...

4 comentários:

Chiquinha Menduina disse...

Boa Noite poeta, visitar teu BLOG é ter uma aula, me sinto dentrode uma, adoro,
beijos

Menduiña

disse...

Nas auroras, quando o relógio continua adormecido ao meu lado, o que desperta-me é uma ânsia fervorosa de calçar meus sapatos, acender um cigarro, e sair
com sede de conhecimento; e quando o crepúsculo se evanesce num céu de
cor lilás, ainda continuo a navegar pelas memórias de um tempo que a
pouco sucumbiu-se no passado. Mas, caminhar é preciso....
E em meio a tanta saudade, tantos desejos e remanescências, cabe-me
silenciar o coração para que ele possa ouvir as vozes que emergem de
um novo tempo!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Mendiuña, és uma poetiza com quem aprendemos. Aprendemos a viver e a sonhar, a lidaar com as nossas dores e a buscar novos modos de caminhar...
Abraços com ternura;
Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Josie, tudo é maravilhosos: a própria mudança... e nela temos um jeito de caminnhar onde as lembranças do ontem permeiam o hoje...
Abraços, jorge