sexta-feira, 4 de março de 2011

BONS ENCONTROS: OS ANDARILHOS DA NOITE ( 4 )

              “Sejamos realistas, exijamos o impossível.” Rimbaud
                       
                  NOITE DE AMOR
                                      Jorge Bichuetti

Se chega o carnaval, a noite ganha estrelas
que antes viviam apagadas pela dura lucidez;
porém, a noite corre sempre, rio cheio de águas,
há os que vivem a magia sem fuso oou calendário.

Viva São João! Viva o nosso Zé Ninguém!...
A alegria é festa , basta  olhar o canteiro
e ver brotar na vida uma vida nova e no céu
os anjos, que não pesam o  pecado, dizem, logo: amém...














                            
                                      OS ANDARILHOS DA NOITE

                              Arthur Rimbaud

- A poesia não voltará a ritmar a ação; ela passará a antecipá-la.

- Eu escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens.

- A nossa pálida razão esconde-nos o infinito.

- Ninguém é sério aos 17 anos.
- O poeta faz-se vidente através de um longo, imenso e sensato desregramento de todos os sentidos.

- Oh estações, oh castelos!
Que alma é sem defeitos?

Eu estudei a alta magia
Do Amor, que nunca sacia.

Saúdo-te toda vez
Que canta o galo gaulês.

Ah! Não terei mais desejos:
Perdi a vida em gracejos.
Tomou-me corpo e alento,
E dispersou meus pensamentos.

Ó estações, ó castelos!

Quando tu partires, enfim
Nada restará de mim.

Ó estações, ó castelos!


 Bob Marley:
 - Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.
- É melhor atirar-se à luta em busca de dias melhores, mesmo correndo o risco de perder tudo, do que permanecer estático, como os pobres de espírito, que não lutam, mas também não vencem, que não conhecem a dor da derrota, nem a glória de ressurgir dos escombros. Esses pobres de espírito, ao final de sua jornada na Terra não agradecem a Deus por terem vivido, mas desculpam-se perante Ele, por terem apenas passado pela vida.
-  As Vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmo eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!
- A vida é para quem topa qualquer parada. Não para quem pára em qualquer topada.
- Se Deus criou as pessoas para amar, e as coisas para cuidar. Por que amamos as coisas e usamos as pessoas!
-  Não viva para que a sua presença seja notada,
mas para que a sua falta seja sentida...

Marguerite  Duras:
- Caminhais em direcção da solidão. Eu, não, eu tenho os livros.
Escrever é também não falar. É calar-se. É gritar sem ruído.

Maysa:
- A bebida é a bengala de um velhinho que mora em minha personalidade. Mas tenho certeza
de que uma criança que existia em mim, antes de tantas coisas acontecerem, um dia voltará.
Só então saberei quem sou.
 "Se meu mundo caiu, eu que aprenda a levantar"

ANAIS NIN:

"A vida se contrai e se expande proporcionalmente à coragem do indivíduo."

- O erotismo é uma das bases do conhecimento de nós próprios, tão indispensável como a poesia.
-  A única anormalidade é a incapacidade de amar.
- O único transformador, o único alquimista que muda tudo em ouro, é o amor. O único antídoto contra a morte, a idade, a vida vulgar, é o amor.
- Me nego a viver em um mundo ordinário como uma mulher ordinária.
A estabelecer relações ordinárias.Necessito o êxtase. Não me adaptarei ao mundo. Me adapto a mim mesma.


2 comentários:

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

Maravilha Jorge ... me encanta visitar-te e admiro sua capacidade produtiva amigo ...lindo seus escritos ..
Como de costume venho e deixo meu rastro abraços

Tic-tac, tic-tac

Tic-tac, tic-tac
Voz secular dos relógios
Dessas madrugadas
Tristes e sombrias
Quando conto as horas
E você não vem
Habitar meus sonhos
Alhures e refém.

Quando você não vem
Tudo aqui é triste
Uma Solidão
Um sem sentido
Como se o amanhã
Sem você não existisse

Então venha
Venha habitar
Meu silêncio
Meu refúgio
Meu casulo
Traga luz do dia
Ao meu peito de pedra
Acenda a luz
Traga-me poesia.
(@by Adilson S. Silva)

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Adilson, sua poesia sempre cria vida e possibilita-nos cuidar de nossas dorese carências com raça e alegria.
Que poesia terna. Sobre a dor da ausência mas com uma melodia que nos faz ninar. Uma lágrima e mil sonhos....
Abraços, amigo, todo o meu carinho,
Jorge