quarta-feira, 2 de março de 2011

OS ENIGMAS DA ALEGRIA E DA TRISTEZA

                                                                   Jorge Bichuetti

Quase sempre, depositamos nossas alegrias e tristezas na conta do destino... Um escrito nas estrelas, um jogo do mundo nos aniquilando ou nos glorificando.
A vida é obra inacabada... Um projeto, um conjunto de tarefas...
Podemos inventar nossa caminhada.
Podemos intensificar nossas alegrias e administrar nossas tristezas, superando-as e reinstaurando, novamente, a paz e a alegria.
Alegria e tristeza compõe a vida... todavia, a euforia na alegria e a paralisia na tristeza corre por nossa conta, seguem o curso das nossas posturas e opções...
Diz Deleuze: " Evitemos as paixões tristes e vivamos com alegria para ter o máximo de potência; fugir da resignação, da má consciência, da culpa e de todos os afectos tristes."
De fato, a dor e o sofrimento nos paralisa e resignados acreditamos que a vida e o mundo é assim.
Se lutamos, a própria luta nos recompõe e nos situa, de novo, no jardim florido das alegrias, ainda que persistamos com os olhos marejados de lágrimas. A resignação paralisa e nos vitimiza, perenizando nosso desespero e nosso profundo mal estar.
Se funcionamos como a má consciência da vida, nos tornamos uma estátua que julga inclemente o outro, o mundo e a si mesmo; sem aceitar quebrar seu narcisismo e onipotência, para enxergar na vida e no caminho as mudanças e o novo.Condenamos, mas não transformamos...
A culpa nasce e nos imobiliza: não somos deuses ou heróis, somos o humano numa caminhada de produção, experimentação e inovação. A culpa trava... Inibe...  Nos engaiola num abismo de autoflagelação e de autodestruição.
Busquemos intensificar uma vida de bons encontros, solidários e libertários. Renovemos a utilização do tempo e doemos um quantum da nossa vida para a arte, para o lúdico e para a solidariedade. Campos, forças e fluxos que nos vitalizam e nos sintonizam com as potências da alegria.
Acrescenta, Deleuze: " " Eu bem que gostaria de todas as manhãs sentir que o que vivo é grande demais para mim porque seria a alegria em seu estado mais puro. Mas, deve-se ter a prudência de não exibí-la, pois há quem não goste de ver pessoas alegres."
Intensificamos nossas vidas. Tornemo-la grandiosa, fazendo o máximo e sendo a vida plenificado na solidariedade e na liberdade, na justiça e na partilha, no amor e na arte, na paz e na luta, na criatividade e no devir... Porém, evitemos nosso mergulho desarmado no oceano dos olhares alheios. Muitos invejam a alegria, e se a intensificam, seremos alvos da inveja; porém, se superamos nosso desejo de aprovação do outro, aprenderemos a sentir a alegria pela vida vivida e pelos frutos do caminho.
Deste modo, podemos ser felizes...
Cabe recordar Espinoza, o filósofo da alegria, que a dizia longinqüa das ideias de posse, e assim, imersa numa intensa capacidade de, verdadeiramente, amar.
O amor que se realização ativamente, longe da servidão da necessidade de ser amado é o caminho glorioso das paixões alegres.
A alegria não cai do céu... a construimos com nossas mãos, corações e nossos caminhos.

14 comentários:

Anne M. Moor disse...

Jorge

Que texto brilhante que nos faz pensar... e pensar (de verdade) :-) é tão necessário...

"Alegria e tristeza compõe a vida... todavia, a euforia na alegria e a paralisia na tristeza corre por nossa conta, seguem o curso das nossas posturas e opções..."

e a euforia e a parilisia nos aflige, de uma maneira ou outra, a todos. O exercício da evitação tanto da euforia quanto da paralisia é uma tarefa de uma vida inteira. O poetar ajuda. :-)

beijos
Anne

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, vejo em mim e nos que fazem a oficina de poesia: a poesia nos permite lidar com as dorese e as alegrias na magia da arte que depura, apura e bifurca novos caminhos e horizontes.
temos sempre que aprender a nos humanizare aceitar o humano demasiado humano das dores e nos sublimar para que as alegrias são sejam futilidades vazias e passividade paradisíaca...
Abraços com carinho, Jorge

Paulo Braccini disse...

Os paradoxos da vida! Aí reside toda a sua grandiosidade.

Agradeço e retribuo o carinho de sua visita ... que coisa boa esta possibilidade de poder descobrir o Jorge e desfrutar de suas emoções ...

Uma viagem fantástica esta de estar aqui e banhar-me em seus sentimentos decodificados em letras, palavras e parágrafos ...

Seguindo e linkando

Anônimo disse...

Dr. Jorge,
Encantei-me pela gravura, certamente uma pintura.Demais a beleza da simplicidade.Bjo
Denise

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Paulo, vi seu trabalho e viagem, e me encantei: percebo que sempre iremos trocar vida e sonhos...
Te felicito e o admiro pelo trabalho. Muitos pensam , que a internet, é somente um lugar de egos; eu vejo egos se conectando e descobrindo um novo viver... abraços com ternura, Jorge

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Denize, a vida , muitas vezes, se revela nas coisas simples e no mais terno... Vivo muito esta procura, da vida no seu lado mais singelo.
Abraços com ternnura. Jorge

Tânia Marques disse...

Excelente! Nas andanças da vida, construímos um edifício de alegrias e tristezas, e é nessa contradição que aprendemos a dar valor aos bons e aos maus momentos. Os bons nós recordamos com facilidade, e os maus existem para que aprendamos a buscar saídas, a crescer em todos os aspectos, porque a vida é bela, mas tudo depende de como olhamos para ela e do que fazemos das nossas experiências. Continuo crescendo muito por meio dos teus escritos, e isso é muito importante para mim, tu és também um responsável indireto pelo meu fortalecimento. Beijos

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

TÂNIA, CRESCEMOS JUNTOS... AS DORES SÃO PEDRAS QUE NOS PODEM DERROTAR OU SE AS VENCEMOS, DELAS, FAZEMOS, UMA A UMA , NOVOS DEGRAUS DE UMA ESCADA PARA OS CUMES DA PERENE FELICIDADE...
JÁ VIVI MUITAS SITUAÇÕES TRISTES QUE ERAM, E EU NÃO SABIA, UMA DEPURAÇÃO DO CAMINHO E UMA RENOVAÇÃO DO DESTINO...
É MUITO BOM PARTILHAR A CAMINHADA CONTIGO.
VOCÊ É UMA ESTRELA DO CÉU, ERRANTE NO CHÃO COM NOTÍCIAS DO INFINITO.
ABRAÇOS COM TERNURA, JORGE

Tânia Marques disse...

Muito obrigada pela imensa ternura, ela me contagia, me afeta sempre. Beijos com carinho!

Anônimo disse...

Dr. Jorge,

O que seria a Oficina de Poesia?
Bjo da De

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

TÂNIA, SIGAMOS COM TERNURA E VISLUMBRANDO NO LINHA DO HORIZONTE UM BELO PORVIR...ABRAÇOS CO CARINHO, JORGE

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

DENISE, SÃO OFICINAS DE POESIA REALIZADAS COM OS USUÁRIOS DO CAPS-MARIA BONECA... FAZEM PELAS POESIAS E GOSTAM DE OUVIR OS POEMAS DOS NOSSOS GRANDE MESTRES...
ABRAÇOS COM CARINHO, JORGE

Anônimo disse...

Dr. Jorge infelismente não entendi
"usuários do caps-maria boneca"
Sonhe com os anjos e que Deus o cubra com seu manto de estrelas.
Beijo, já saudade,muito carinho.
Denise

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Denise, é um trabalho com usuários portadores de sofrimento mental grave que fazem tratamento na Fundação Baremblitt. é uma oficina terna e bela.
Abraços, Jorge