terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

SOCIEDADE DE AMIGOS:PARA ALÉM DOS LIMITES, UM NOVO CAMINHAR... UM SOBREVIVER POR AMAR...


AMANHÃ, TALVEZ.
  Paulo Cecílio

 Palmas  verdes acenam ,
ao adeus do vento.

O mar estilhaça o sol
em  bilhões de cristais.

Mas não parte de mim,
                                                            este estranho que me parte.


                     Experiência-limite
                                 Marta Rúbia de rezende
 

Limite é...
Como dizer?
Limite é
Não se limitar.
Limite é
O ponto do devir.
Limite é
Onde a gente deve ir.
Limite é
Fazer curva na reta.
Limite é
Quando pensamento começa a pensar.
Limite é
Experimentar a intensidade máxima.
Limite é
Nascedouro do outro em mim.
O amor, já disse o poeta maior,
"É o que se aprende no limite".


                       CAMINHOS

                                        Thiago Luis

caminhar,
caminhar,
caminhar sempre.
mesmo com o peso das culturas
curvando nossas costas.
mesmo tropeçando nos enunciados
que nos fazem palhoça.

caminhar,
caminhar,
caminhar sempre.
encontrar nas trilhas do incognoscível
desmatar sentidos nulos no
nunca d´antes percebido.
alimentar sonhos-ilusões.

caminhar,
caminhar,
caminhar sempre.
e se faltar comida,
e se faltar bebida,
e se faltar a fé
e se faltar axé
e, mesmo se faltar a cama,
alguém que se te ama
nos redemoinhos dos vazios,
caminhemos.

caminhar,
caminhar,
caminhar sempre.
e não parar de caminhar.

4 comentários:

Marta Rúbia de Rezende disse...

Jorge, obrigada por me colocar entre gente tão bonita.
beijin
Marta

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

mARTA, TE QUERIA ACOLHIDA PELO COLETIVO QUE JÁ TE AMA, LONGE; POIS, TODOS ME DIZEM QUERER MUITO CONHECÊ-LA... BLOGUEIRA IRMÃ, MEU BLOG É TEU... E ESTOU NA TORCIDA PARA TE VENHA A INSPIRAÇÃO DA CONSTRUÇÃO DO NOVO.
MEU CARINHO E AMOR, ABRAÇOS E BEIJOS, JORGE

Lillian disse...

Caminho.
Sempre caminho.
Sempre a caminhar, redescobrindo sempre o caminho e o andar.
Amo Caminhar!

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Lillian, a vida se dá na estrada...
Viajamos, parados...
Porém, sem tentar ir e tocar a linha do horizonte, a vida empobrece e fenece... como uma noite sem luar.
Abraços, Jorge