domingo, 6 de fevereiro de 2011

UMA NOVA PEDAGOGIA: A PEDAGOGIA KLÍNICA

                                                 Jorge Bichuetti

Toda relação com a vida envolve um processo de aprendizagem...
Comumente, pensamos que pedagogia é tema para educadores...
Todos somos educadores... E todos estamos permanentemente sendo educados...
A um modo rígido, instiuído e dominante, ele se caracteriza por alguns sinais:
- há um saber num pólo e a ignorância no outro;
- se educa, verticalmente, de forma autoritária e de depositação de um saber no outro;
- nunca se permite a invenção de um novo saber;
- o saber é conjunto de verdades positivas e raciionais; cujo locus máximo do seu domínio é a ciência;
- e a liberdade e a democracia são vistas como escolhos, perda da disciplina, do e do pragmatismo...
Esta não a única pedagogia; contudo a vemos e a usamos em todo canto... Nas escolas, na familia, nas empresas , nas ruas, enfim, dela, abusamos com frequência...
Educação é troca mútua,, criatividade , invenção do novo: esta já uma outra pedagogia...
Que nasce da confluência de varios fontes iluminadas e floridas...
Anísio Teixeira, Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Boal, Lourou, Lapassade, Bleger...
Agora, vem sendo fomentado uma nva edagogia inspirada em Espinoza, Deleuze e Guattari...
Ela lembra muito o modo de aprender dos nossos índios...
E está viva e explicitada na poesia de Patativa do Assaré...
Ou ainda, em João Cabral de melo Neto e seu poema "A educação pela pedra"...
Superado a educação bancária, acrítica e vertical, pode se pensar além...
Espinosa dizia que tudo podemos desvelar pela experimentação, pela exploração do pode um corpo...
Então, já não saberemos reprodutivamente somente aquilo que o outro ja nomeou como a verdade...
Podemos descubrir pelas experimentações, pela arte, pelo diálogo... Na vida e com a vida...
Daí, nasce o novo... Um educação em movimento:pedagogia Klínica.
Uma escola de transversalidade, de autogestão e autoanálise, de alegria e arte, de criatividade e de invenção do novo.
Reflitamos, e descubriremos que nossos filhos e nossos jovens odeiam tanto o universo da aprendizagem..
Se , no silêncio da nossa reflexão, formos sinceros, diremos: pelo menos bom gosto, eles possuem...

"A consciência do mundo e a consciência de si como ser inacabado necessariamente
inscrevem o ser consciente de sua inconclusão num
permanente movimento de
busca (...)."
Paulo Freire
Pedagogia da autonomia, 1997

         A Educação pela Pedra

             de João Cabral de Melo Neto

Uma educação pela pedra: por lições;
Para aprender da pedra, freqüentá-la;
Captar sua voz inenfática, impessoal
[pela de dicção ela começa as aulas].
A lição de moral, sua resistência fria
Ao que flui e a fluir, a ser maleada;
A de poética, sua carnadura concreta;
A de economia, seu adensar-se compacta:
Lições da pedra [de fora para dentro,
Cartilha muda], para quem soletrá-la.

Outra educação pela pedra: no Sertão
[de dentro para fora, e pré-didática].
No Sertão a pedra não sabe lecionar,
E se lecionasse, não ensinaria nada;
Lá não se aprende a pedra: lá a pedra,
Uma pedra de nascença, entranha a alma.

6 comentários:

Sumayra Oliveira disse...

Segue o link do filosofo comunista mais querido da juventude no momento....http://globonews.globo.com/platb/milenio/tag/slavoj-zizek/

Marta Rúbia de Rezende disse...

Mandei pro seu email , Jorge, uns comentários meus sobre educação pra pensar a UPopular. Mas, sei lá se precisava pois vc com a educação klínica tá com tudo. Mesmo assim lhe chamo atenção bem como dos demais da UPop que não se esqueçam de conhecer o método de Jacques Jancot. Jacques Rancière recuperou esse me´todo e escreveu "O Mestre Ignorante". A educação não deve ser entendida como partida para construção da igualdade. A igualdade é a condição da educação. A partir disso , esse brilhante pensador e militante do sec XIX produziu um método fantástico de aprendizagem, com base na leitura.

abraço
marta

Anne M. Moor disse...

Jorge

A aprendizagem se constrói na interação e na colaboração com o(s) outro(s), no ouvir-se e ouvir o outro, na reflexão compartilhada. Para isso, há que se proporcionar um espaço em que os sujeitos se sintam confortáveis e não ameaçados.

Minha vida - o de professora/pesquisadora/educadora. Mais uma de minhas paixões! :-)

bjos
Anne

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Sumayra, um belo presente...
Irei dar uma olhada.
Como são ricas as trocas que nos permitem viver, ampliando-se num horizonte colorido pela amizade.
Abraços com ternura, Jorge.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Marta, não conheço este livro que pelo nome já me conquistou...
Espero e esperamos contar com sua colaboração e partilha nessa consrução desafiadora...
O processo da educação no entre do popular e da utopia, me parece uma obra impermanente que nos pede ricos diálogos para nunca cristalizar , longe do que pode a ousadia...
Li seu email e estou organizando para pasar para os companheiro da UPop...
Beijos com um grande desejo dum cafezinho e um papo, Jorge.

Jorge Bichuetti - Utopia Ativa disse...

Anne, nossos sonhos andam no mesmo céu... Poesia-educação...
Gostei muito da sua ideia do educador como escuta...
Muitas vezes, nos cremos homens da fala, e nos negando à escuta, fechamos os portais do diálogo.
Abraços, com imensa ternura... Jorge